A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) quer estimular a população para que confeccione máscaras de tecido para se proteger, durante a pandemia no novo coronavírus. O objetivo, diz a Anvisa, “é estimular a população a buscar uma solução de baixo custo e de mais fácil acesso para reforçar a proteção contra o novo coronavírus (Sars-CoV-19)”.

“A medida também pretende evitar que as pessoas comprem máscaras profissionais e, com isso, desabasteçam os serviços de saúde e hospitais”, diz a Anvisa.

A Anvisa explica o tipo de tecido que pode ser usado, quais são os procedimentos de produção, os cuidados e a forma adequada de usar a máscara. Além disso, dá dicas sobre o manejo, a limpeza e o descarte.

“O coronavírus é espalhado por gotículas espalhadas pelo ar, chamadas aerossóis, quando pessoas infectadas conversam, tossem ou espirram. Esses aerossóis ficam suspensos no ar e podem ter sua disseminação diminuída pelo uso de máscaras não profissionais”, esclarece a agência.

Na semana passada, o ministro da Saúde recomendou o uso de máscaras de pano pela população. “Não é caro de fazer, faça você mesmo, tem na internet, faça você mesmo e lave com água sanitária, ou o nome que você conhece”, disse Mandetta.

De acordo com a Anvisa, qualquer pessoa pode fazer uso de máscaras de uso não profissional, inclusive crianças e pessoas debilitadas. Mas, é importante respeitar regras como:

  • Não compartilhar
  • Lavar após o uso
  • Descartar em locais adequados

Quais os tecidos podem ser usados?

Segundo a Anvisa, as máscaras de tecido e artesanais devem ser feitas com tecidos 100% algodão ou cotton. Também pode ser utilizado o Tecido Não Tecido (TNT), feito de material sintético – “desde que o fabricante garanta que o produto não causa alergia e seja adequado para uso humano”, alerta a agência.

Devem ser evitados os tecidos que podem irritar a pele, como poliéster puro e outros sintéticos.

A máscara deve ser feita nas medidas corretas para cobrir totalmente a boca e o nariz, sem deixar espaços nas laterais.

“É importante lembrar que seu uso é por um período de poucas horas, em situações de saída da residência, e sempre se respeitando a distâncias entre as pessoas.”

A Anvisa também chama a atenção para a importância de não manipular a máscara, enquanto a pessoa estiver na rua. “E, antes de retirá-la, é preciso lavar as mãos”, acrescentam os técnicos.

© 2020, Redação Maricá. Todos os Direitos Reservados.

error: O conteúdo está protegido !!
× Como podemos te ajudar?