As obras para a construção do Emissário Submarino de Efluentes do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (COMPERJ) já estão em fase final de conclusão. O emissário irá despejar no mar de Itaipuaçu, a cerca de 4km da costa, os efluentes gerados pelo Comperj.

Paralisada desde 2014 por determinação do ex-prefeito Quaquá devido ao não cumprimento de exigências de contrapartidas, a obra foi retomada após a Petrobras firmar um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) pelo licenciamento ambiental do Comperj e do Emissário de Efluentes.

O termo envolveu o Governo do Estado e o Ministério Público do Rio, no valor de R$814,5 milhões, para que as obrigações ambientais com os municípios de Maricá, São Gonçalo e Itaboraí sejam quitadas.

Em fevereiro de 2019, a Prefeitura de Maricá multou em R$25 milhões a Petrobras devido à paralisação do Projeto de Implantação de Sistema de Esgotamento Sanitário no município, firmado em convênio entre a prefeitura e a empresa em compensação pelo emissário submarino

A notícia dividiu opiniões entre moradores de Itaipuaçu e frequentadores da Praia.

” Até que ponto isso não é prejudicial? Batalhamos tanto para manter esse lugar limpo e conscientizar as pessoas a cuidarem do meio ambiente.” afirma uma moradora de Itaipuaçu.

Fonte: Maricá Info

© 2020, Redação Maricá. Todos os Direitos Reservados.

error: O conteúdo está protegido !!
× Como podemos te ajudar?