Familiares e amigos se reuniram na manhã desta segunda-feira, 15, em frente ao Campo Santo Cônego Batalha, cemitério municipal de Maricá, para se despedirem do sambista, Claudinho Guimarães.

O cantor e compositor Claudinho, conhecido por assinar sambas como “Quando Gira Girou”, feito famoso na voz de Zeca Pagodinho, teve um infarto e morreu na noite de ontem aos 50 anos. Segundo informações, o sambista já teve um infarto anteriormente, mas dessa vez, não resistiu.

Diversos sambistas, como Rafael Caçula, Jô Borges, Gustavo Farias, Matheus Gaúcho, amigos do Porto da Pedra, entre outros, estiveram em frente ao cemitério e cantaram diversos sambas em homenagem ao compositor. O clima era de despedida mais de muita alegria e reverência por Claudinho Guimarães e por tudo o que ela representava para a cidade.

Quando o serviço funerário chegou ao local, por volta das 13 horas, todos os presentes aplaudiram e se emocionaram. O corpo foi encaminhado direto para o sepultamento.

Em nota o secretário de Cultura Sady Bianchin, se pronunciou sobre a morte do sambista: “Em nome da Cultura de Maricá, o secretário da pasta, Sady Bianchin, solidariza-se com a família e com os amigos do sambista Claudinho Guimarães, que faleceu na tarde deste domingo (14/06), vítima de um infarto. Perde o município, perde a comunidade do samba um músico, cantor e compositor de primeira grandeza, homem compromissado com o coletivo e que buscava instrumentalizar sua arte para fazer do mundo um lugar melhor. Neste momento de dor, não podemos deixar de prestar nossa homenagem a esse artista que se dedicou a preencher a cidade com música de qualidade e genuína alegria. Unimo-nos a todos os músicos, fãs, familiares e amigos do sambista para prestar nossa homenagem, levar nosso sentimento de pesar.”

© 2020, Redação Maricá. Todos os Direitos Reservados.

error: O conteúdo está protegido !!
× Como podemos te ajudar?