A Empresa Pública de Transportes (EPT) alugou cerca de 23 ônibus para fortalecer a frota das linhas na cidade e em menos de um mês em circulação, os novos ônibus já começaram a sofrer atos de vandalismo.

Jovens foram flagrados retirando adesivos de saída de emergência da janela direita e quebra a placa de ‘proibido fumar’ dos bancos, depredando os novos coletivos, em ônibus que fazia a Linha Ponta Negra x Cordeirinho.

As constantes violações no interior dos ônibus acarreta diversos problemas operacionais gerando transtorno para a população. Quando um ônibus tem alguma parte quebrada, ele é retirado de circulação, ou seja, é menos um ônibus circulando na cidade causando atrasos, superlotação e insatisfação dos usuários.

Os atos de vandalismo foram registrados na Delegacia de Maricá e as imagens do coletivo foram enviadas para a Polícia para apuração e identificação dos responsáveis.

Toda depredação ao patrimônio público, além de um transtorno, gera gastos aos cofres públicos e é crime, descrito no código penal brasileiro (art. 163), que prevê detenção de 6 (seis) meses a 3 (três) anos e multa, além da pena correspondente à violência.

© 2020, Redação Maricá. Todos os Direitos Reservados.

error: O conteúdo está protegido !!
× Como podemos te ajudar?