Lugar de mulher é onde ela quiser. A frase se popularizou após o enraizamento do movimento feminista no Brasil e no mundo. A luta pelos direitos é lembrada pela Prefeitura, através da programação para o 8 de março preparada pela Secretaria de Participação Popular, Direitos Humanos e Mulher.

A desigualdade ainda persiste, mas muito se avançou, seja na esfera pública ou na privada. O tema representatividade feminina se torna importante por tentar construir uma sociedade mais igualitária, entre homens e mulheres. Na estrutura do governo, das 28 secretarias, sete são comandadas por mulheres e a presença feminina é relevante em todos os setores.

O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), da Organização das Nações Unidas (ONU), divulgou na última quinta-feira, 05/03, uma pesquisa que revelou que 90% dos homens e das mulheres tem visões negativas sobre o papel das mulheres na política, no mercado de trabalho e até na família.

A mulher ainda é tida como inferior perante o homem, em todos os sentidos, como diz a vice-presidente da OAB de Maricá, Luciene Mourão.

“A mulher não tinha poder de voto antes, e nem tinha direito a nada. Isso tem mudado com os movimentos das mulheres, os movimentos feministas que criaram espaços dentro da nossa sociedade. Mas são espaços que eu ainda considero pequenos, é preciso mais. Se faz necessário mais mulheres em mesas de debates, nós precisamos ter voz, e não é só dentro do município, mas também do estado e do país”, comentou.  Um dos pontos da programação para este domingo é, justamente, o Grito das Mulheres, um ato público para lembrar e reforçar a luta pela igualdade.

Luciene comentou ainda falando sobre os espaços que precisam ser ocupados pelas mulheres. “Somos livres, somos capacitadas, devemos exigir nosso espaço na Sociedade, compondo mesas de debates, trazendo nossas necessidades para que possamos ser ouvidas, ocupando todos os espaços da sociedade, para que sejam criadas mais  políticas públicas que defendam os nossos direitos e garantias”, completou.

A Coordenação de Políticas para as Mulheres, pasta vinculada à Secretaria de Participação Popular, Direitos Humanos e Mulher, atua no fomento a uma maior participação pública feminina em Maricá. De acordo com a coordenadora, Luciana Piredda, o foco da Casa da Mulher é esse, incentivar a ocupação desses cargos no município.

“Nós temos o papel de incentivar. Consideramos que quando uma mulher participa das ações políticas, torna as construções políticas  mais equânimes, e é assim que a gente caminha para a igualdade de gênero, possibilitando a representatividade das mulheres nesses espaços”, disse.

© 2020, Redação Maricá. Todos os Direitos Reservados.

error: O conteúdo está protegido !!
× Como podemos te ajudar?