médico, antropólogo e pesquisador da Universidade de British Columbia, no Canadá, Dan Small, participou no último dia 16/01, de uma teleconferência promovida pela Secretaria de Assistência Social de Maricá, através do Serviço de Atendimento Psicossocial Álcool e Drogas (Sapad) e do Serviço Especializado em Abordagem Social (SEAS), em parceria com a “Rede Unidas”. O evento, que faz parte do curso “Redescobrindo, práticas de proteção e garantias de direitos”, aconteceu no Centro de Artes e Esportes Unificado (CEU), na Mumbuca, foi mediado pelo integrante do movimento “Respeito é bom e eu gosto”, Paulo Silveira.

No centro da exposição, estava o tema sobre zonas de aceitação, com a proposta de ajustar serviços às pessoas e não o contrário. O veículo condutor para o debate entre os participantes foi o artigo do pesquisador canadense “Criando Zonas de Aceitação”, publicado no livro intitulado “Criminalização e Acolhimento”.  “É preciso derrubar barreiras estigmatizadas pela sociedade para uma aproximação de qualidade com o público alvo, através do programa das moradias sociais, por exemplo”, afirmou o médico e antropólogo.

Os participantes perguntaram ao pesquisador se o programa consegue emancipar seu público alvo, quais os métodos utilizados com crianças e adolescentes que utilizam substâncias químicas ou que chegam com seus pais que são usuários dentro do prédio e como foi a aceitação deste programa perante Estado e a sociedade, visto que no Brasil as ocupações são baseadas em conflitos.

No mês de maio, este curso, que será certificado como curso de extensão pela Universidade Federal Fluminense (UFF), dará continuidade com a presença do próprio Dan Small em Maricá. Outra teleconferência,o 3º Encontro será realizado no dia 18 de fevereiro, às 14h, na sede da OAB de Maricá, em Araçatiba.

© 2020, Redação Maricá. Todos os Direitos Reservados.

error: O conteúdo está protegido !!
× Como podemos te ajudar?