Com a suspensão das visitas nos presídios do Rio Grande do Norte por causa da Covid-19, a Secretaria da Administração Penitenciária (Seap) autorizou o envio de cartas de familiares aos internos. O projeto “Cartas que falam: comunicando a vida” começou na Penitenciária Estadual de Alcaçuz e foi estendido a todas as unidades prisionais do Estado.

Os familiares, devidamente cadastrados como visitantes, podem redigir de próprio punho uma carta com até seis linhas, contendo notícias de cunho pessoal ou palavras de conforto para serem entregues ao parente preso.

Os policiais penais fazem uma vistoria no material e, depois, a leitura das cartas junto aos detentos destinatários. Todo o material é guardado para controle e eventual acesso posterior.

O secretário da Seap, Pedro Florêncio Filho, diz que a leitura das cartas tranquiliza os privados de liberdade com notícias dos familiares, mantendo a harmonia e controle nesse momento isolamento social. O RN tem cerca de 10 mil presidiários.

Isolamento

Além das visitas, a Seap também decretou a suspensão do atendimento de advogados e defensores públicos, serviços de assistência religiosa, educacional, social e de capelania. A medida visa a proteger a saúde dos servidores, apenados e familiares, para evitar a propagação do novo coronavírus nas unidades prisionais.

© 2020, Redação Maricá. Todos os Direitos Reservados.

error: O conteúdo está protegido !!
× Como podemos te ajudar?