O adiamento ou não do carnaval do Rio de Janeiro de 2021 será definido em setembro. A decisão foi tomada durante reunião entre as escolas de samba do Grupo Especial com representantes da Liga Independente (Liesa) realizada na noite da última terça-feira (14).

As agremiações alegam que a realização dos desfiles na Marquês de Sapucaí só deve ser feita caso haja uma vacina contra a covid-19.

“Só imaginamos ter o desfile das escolas de samba em fevereiro se houver uma vacina. Se não houver a vacina nós não temos como fazer esse evento com aglomeração. Carnaval é isso. O jogo de futebol pode acontecer sem plateia, a Fórmula 1 pode acontecer sem plateia, mas os desfiles das escolas de samba não podem acontecer sem aglomeração dos desfilantes ou de quem tá assistindo”, afirmou o presidente da Liesa, Jorge Castanheira.

O cenário de incerteza que gira em torno do futuro do carnaval carioca já influencia o cronograma de algumas escolas, visto que das 12 agremiações do Grupo Especial, 8 divulgaram os enredos para a festa do ano que vem

Além disso, normalmente nesta época do ano funcionários das escolas já estariam dando início aos trabalhos nos barracões, que, na atual situação, encontram-se fechados.

Segundo a Prefeitura do Rio, ainda não é possível divulgar uma definição sobre o próximo carnaval por conta da pandemia da covid-19. A Riotur declarou que, a pedido da Liesa, a preffeitura não irá divulgar nenhuma informação sobre venda de ingressos até que haja uma definição sobre o Carnaval 2021.

© 2020, Redação Maricá. Todos os Direitos Reservados.

error: O conteúdo está protegido !!
× Como podemos te ajudar?