No dia 25 de julho se comemora o dia da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha e como uma grande mulher negra da cidade de Maricá, a vice-presidente da OAB de Maricá, Drª Luciene Mourão comentou sobre a importância da data, além de relembrar alguns grandes nomes de mulheres negras que mudaram o mundo de alguma forma.


”A mulher negra, sempre resistente, com a expertise de se apropriar da tecnologia branca, escravocrata e opressora, para encontrar instrumentos, como a petição que escreveu, Esperaza Garcia (escrava) para denunciar maus tratos vividos por ela.
A Mulher negra durante séculos, sempre forte e resistente, defendendo a humanidade em relação ao povo preto.
Me inspiro em mulheres como: Dandara dos Palmares, Gloria Maria, Mariele Franco, Enedina Alves, Angela Davis, entre outras, nelas me inspiro para falar desses tempos sombrios.” afirma Drª Luciene.


Drª Luciene ainda afirma a importância das iniciativas muitas vezes feministas e comunitárias, que reproduzem a mesma estratégia, com logísticas diferentes, para a proteção da periferia, esquecida pelo poder público. Para Luciene, a mudança precisa existir de uma vez por todas para essas mulheres, que lutam incansavelmente em busca de igualdade.


A Presidente ainda citou a frase da filosofa e ativista norte-americana Angela Davis : “Numa sociedade racista, não basta não ser racista, temos de ser anti-racista”. Angela é figura símbolo da causa negra na década de 1960 nos Estados Unidos, e tem sido amplamente divulgada por ocasião do movimento global que se gerou em torno do assassinato de George Floyd.


”Ser anti-racista é lutar contra o racismo. Mas para lá chegarmos, é importante discernirmos que tipos de racismo existem. Historicamente, o racismo assume várias formas e surge mais frequentemente acorrentado a pelo menos uma outra forma de reforçar ideias, comportamentos e políticas racistas. Me inspirar nessas Mulheres pretas é ressignificar a força, coragem e determinação, de várias mulheres negras da atualidade, é uma motivação para as mulheres pretas, pois temos direito a respeito, a uma sociedade mais justa, a nossa dignidade, em igualdade de condições com as mulheres brancas.” afirma Drª Luciene.


Luciene afirma que não quer que mulheres negras sejam vistas como mulheres inferiores, com baixo nível de intelectualidade, e conta que seu sonho é ver mulheres pretas em lugares de poder, e citou a Desembargadora Dra. Ivone Caetano, como um grande exemplo.


Dra. Luciene Mourão é advogada, Vice-presidente da OAB-Maricá, idealizadora do Pela Ordem Primeiro Elas, membra da ANAN, Nova Frente Negra Brasileira, MNU, FEMNEGRAS Maricá, UBM e CVEMB.

© 2020, Redação Maricá. Todos os Direitos Reservados.

error: O conteúdo está protegido !!
× Como podemos te ajudar?