O Estado do Rio de Janeiro está praticamente a um passo de ser reconhecido como livre de febre aftosa sem vacinação, mas, para isso, é necessário que prossiga com as ações programadas pelo Ministério da Agricultura. Dessa forma, o secretário estadual de Agricultura Marcelo Queiroz informa que a campanha de vacinação vai acontecer dentro do cronograma nacional.

A primeira etapa da vacinação está mantida e será realizada de 1º a 31 de maio, onde serão imunizados bovinos e bubalinos de todas as idades. “Em razão da pandemia do novo coronavírus vamos seguir as recomendações de medidas de prevenção adotadas pelo Ministério da Saúde, tomando todos os cuidados para que a vacinação ocorra satisfatoriamente e sem colocar em risco a saúde dos produtores rurais e dos servidores do serviço veterinário oficial. Agora é importante essa fase para conseguirmos ficar livres da vacina e, com isso, ampliar significativamente o mercado”, informou o secretário. 

As atividades da defesa agropecuária são consideradas essenciais e, além da necessidade de manutenção dos compromissos com as zonas reconhecidas como livre de febre aftosa junto à Organização Mundial da Saúde Animal (OIE), há um grande interesse econômico na obtenção desse status. Os produtores e estabelecimentos agropecuários que comercializam as vacinas vão ser orientados quanto às normas para venda.

“Durante todas as campanhas, os agentes da Defesa Agropecuária estadual fazem vistorias e fiscalizam as lojas que comercializam a vacina. Nesta etapa, apesar da situação atípica, essa fiscalização será mantida para garantir que o produto seja vendido com qualidade aos pecuaristas. As lojas estão sendo orientadas a buscarem meios de facilitar o acesso dos criadores à vacina e que os auxiliem na entrega da declaração de vacinação, sempre que possível. No caso dos produtores, como de costume, deverão adquirir a vacina utilizando caixas de isopor com gelo e adotar todas as medidas recomendadas para evitar a exposição ao risco de contágio”, detalhou o Superintendente da Defesa Agropecuária, Paulo Henrique de Moraes.

Declaração de vacinação

No estado do Rio de Janeiro, a Secretaria de Agricultura, por meio da Defesa Agropecuária, permitirá que o pecuarista faça o lançamento da sua própria declaração de vacinação utilizando o Sistema de Integração Agropecuária – SIAPEC3. 

Serão disponibilizados, ainda, e-mail e whatsapp para envio da declaração e para tirar eventuais dúvidas sobre a campanha. O produtor poderá contar com o apoio dos sindicatos rurais, lojas agropecuárias e prefeituras no recebimento de declarações, que serão repassadas aos escritórios do serviço oficial, evitando, assim, a aglomeração nesses postos.

Para comprovar a vacinação do seu rebanho, por e-mail ou via WhatsApp, o pecuarista deverá digitalizar ou tirar uma foto do formulário de Declaração preenchido e da Nota fiscal, depois enviar a um dos contatos de e-mail ou para o Whastapp neste número: (021) 98605-1198.  

Os contatos de e-mail dos Núcleos de Defesa Agropecuária podem ser acessados por meio deste link: https://is.gd/nFCJ3D

O pecuarista Edgar Martins, já se preparou para vacinar o rebanho sem aglomeração. “Vamos controlar a vacinação nos currais, os fornecedores já estão entregando a vacina nas propriedades, o facilita muito nossa vida. E agora podemos enviar a declaração e nota fiscal via e-mail e WhatsApp”, disse o pecuarista.

© 2020, Redação Maricá. Todos os Direitos Reservados.

error: O conteúdo está protegido !!
× Como podemos te ajudar?