Durante a pandemia do novo coronavírus, mesmo quem está em isolamento social dentro de casa precisa ir à rua ocasionalmente. Entrar no elevador, ir ao mercado e andar de transporte público são algumas das situações em que existem riscos de contaminação por um simples descuido, como usar a máscara incorretamente ou não lavar as mãos com frequência. Veja como se proteger ao sair de casa.

Segundo o infectologista Wladimir Queiroz, do Instituto de Infectologia Emílio Ribas, existem dois fatores determinantes para a transmissão do vírus: “Quantas pessoas circularam por um determinado lugar e qual a circulação de ar deste determinado local”.

Transportes públicos, quando de janelas abertas, tendem a ter constante circulação de ar e, assim, oferecem menor risco. Menor ainda se a linha estiver pouco movimentada e for possível manter a distância de no mínimo dois metros dos demais passageiros.

Outro ponto em que a atenção deve ser redobrada é com as barras de segurança no ônibus ou no metrô. O ideal é evitar o contato das mãos sujas com o rosto enquanto se estiver dentro da condução. Após descer, higienize as mãos com álcool em gel ou lave com água e sabão.

Em trens sem janela o risco de transmissão acaba sendo maior, assim como em ônibus que permaneçam com os vidros fechados. Por conta disto, Wladimir alerta para o período frio, no qual as pessoas tendem a não abrir as janelas e acabam aumentando o risco de contaminação .

Os elevadores são espaços pequenos e com circulação de ar extremamente restrita. Para o infectologista, o risco existe, já que o embarque pode ocorrer logo após uma pessoa tossir ou espirrar sem máscara ou sem cobrir o rosto. Nesse caso, “a chance de você se infectar é grande, principalmente se você estiver sem máscara”, comenta Wladimir.

O médico salienta que, apesar do espaço restrito, elevadores deixam de ser um risco tão grande quando são utilizados corretamente. O ideal é que cada viagem do equipamento leve apenas pessoas que morem no mesmo apartamento.

O supermercado é outro candidato a vilão pela grande movimentação de pessoas e também pelo contato direto com produtos expostos nas prateleiras. Por outro lado, como se trata de um ambiente maior e mais ventilado, é possível manter um distanciamento seguro .

O infectologista aconselha, ainda, que se mantenha a etiqueta ao espirrar ou tossir, cobrindo a boca com o cotovelo, e que as pessoas sigam as lições aprendidas durante a quarentena: “Mantendo o distanciamento e utilizando a máscara. você reduz muito o risco de contaminação, especialmente a chance de transmitir aos outros”.

© 2020, Redação Maricá. Todos os Direitos Reservados.

error: O conteúdo está protegido !!
× Como podemos te ajudar?