Com a decisão do Governo do Rio de Janeiro de promover o retorno às aulas presenciais a partir de 14 de setembro e a promulgação da lei estadual 8.997/2020, que autoriza a realização de testes diagnósticos de Covid-19 em professores e funcionários de escolas públicas e particulares, esta medida torna-se importante para aumentar a segurança e reduzir o risco de contágio nos estabelecimento de ensino”, pondera Anna Luiza Szuster, diretora de Relações Institucionais da MedLevensohn, empresa com mais de 17 anos de mercado na área da saúde.

Para ela, é necessário adotar alternativas eficazes e exequíveis para a testagem dos quadros profissionais das escolas. Nesse escopo, a empresa, por meio do MedMóvel, oferece um serviço bastante adequado aos estabelecimentos de ensino, para a realização de testes rápidos para identificar pessoas contaminadas pela Covid-19, bem como, adicionalmente, indivíduos com maior grau de risco relativo a comorbidades, como diabetes e hipertensão.

O MedMóvel é uma Unidade Móvel de Saúde Preventiva, estruturada para prevenção e diagnóstico de doenças, por meio de tecnologias point of care, incluindo a realização, em todo o Estado do Rio de Janeiro, de testes laboratoriais remotos. Estes têm execução, leitura e interpretação dos resultados em, no máximo, 30 minutos. Além disso, são de fácil realização e não necessitam de estrutura laboratorial complexa. “É exatamente o caso do MedTeste Coronavírus IgM/IgG, teste rápido imunocromatográfico, que identifica em bandas separadas os anticorpos IgM e IgG e apresenta sensibilidade de 86,8% e uma especificidade de 98,6%”, explica Anna Luiza.

O teste aplica-se a indivíduos com início dos sinais e sintomas há mais de sete dias. A necessidade de atingir 72 horas de período assintomático, antes da realização do teste, deve-se à evidência de redução importante da viremia após esse período a partir do fim dos sinais e sintomas. Essa medida permite que o grau de transmissibilidade seja reduzido, mesmo na eventualidade de um resultado falso negativo.

O teste também é indicado para pessoas sem histórico de sinais e sintomas compatíveis com síndrome gripal. “Ressalte-se que o achado de resultados IgM ou IgG em indivíduos sem histórico de sinais e sintomas pode significar contato prévio com a Covid-19 e, consequentemente, possível imunidade. Neste caso, em função do menor valor preditivo positivo, recomenda-se que resultados positivos sejam sempre interpretados com cautela”, explica a diretora de Relações Institucionais da MedLevensohn.

Além da testagem de professores e funcionários das escolas, autorizado pela lei estadual, Anna Luiza observa que os pais podem, voluntariamente, fazer os testes rápidos nas crianças e adolescentes. “Embora nessas faixas etárias a Covid-19 apresente baixíssimo índice de manifestação grave e elevado grau de portadores assintomáticos, a constatação de que o aluno já tem anticorpos ou não possibilita a adoção de medidas e cuidados preventivos para que não sejam vetores da infecção para seus familiares e a comunidade escolar”, conclui a executiva.

Fonte: Simone Câmara

© 2020, Redação Maricá. Todos os Direitos Reservados.

error: O conteúdo está protegido !!
× Como podemos te ajudar?