A polícia indiana inovou na punição de dez turistas que quebraram o confinamento em Rishikesh, cidade na Índia que atrai turistas em busca de retiros de yoga e meditação. Os estrangeiros foram obrigados a escrever 500 vezes uma mensagem de desculpas por infringir as regras do país.

Apesar do confinamento nacional, imposto pelo governo de Narenda Modi no fim de março, os estrangeiros foram abordados pela polícia enquanto andavam por Rishikesh, cidade conhecida por ter sido local do retiro espiritual dos Beatles em 1968.

No país de 1,3 bilhão de habitantes, as pessoas só podem deixar suas casas para atividades essenciais, como comprar comida ou remédio.

Como punição, os turistas, originais de Israel, México, Austrália, Estados Unidos e Áustria, foram obrigados a escrever 500 vezes a frase: “Eu não segui as regras de confinamento e eu sinto muito por isso”, informou o policial Vinod Sharma neste domingo (12).

A punição excepcional foi adotada para desestimular novas infrações. De acordo com o policial, mais de 700 turistas estrangeiros já foram flagrados quebrando o confinamento na região.

Desde o início das regras de isolamento social, a polícia indiana tem adotado punições incomuns contra quem quebra o confinamento: uso de capacetes com o formato do vírus, obrigação de fazer exercícios ou de dançar em público.

Além dos métodos lúdicos, muitos vídeos nas redes sociais mostram ações violentas da polícia, como policiais espancando motoristas nas estradas.

Até o momento, a Índia registrou mais de 8.300 casos de coronavírus e 273 mortes pela doença. O confinamento, marcado para terminar na próxima semana, deve ser estendido por mais 15 dias.

© 2020, Redação Maricá. Todos os Direitos Reservados.

error: O conteúdo está protegido !!
× Como podemos te ajudar?